CHUCK 70: A HISTÓRIA DO ÍCONE

Chuck 70

Chuck 70 – um ícone através das gerações

Se perguntarem qual palavra melhor define um Chuck 70, nós responderemos: clássico! Isso porque este tênis, além de ser uma entidade no mundo da moda e do lifestyle, atravessa as décadas e se encaixa perfeitamente em qualquer momento, além de ser admirado e desejado por pessoas de várias gerações. No entanto, muitas pessoas ficam confusas ao ler ou ouvir o termo “Chuck 70”, já que, aparentemente, o modelo traz muitas semelhanças em relação aos tradicionais Chuck Taylor All Star. E já que as dúvidas começaram a surgir por aí, segue o textinho especial que preparamos.

Primeiramente, senta que lá vem história 

Tudo começou lá no distante ano de 1908, na cidade de Malden, em Massachusetts (EUA). Como muitas das ideias inovadoras, a Converse surgiu a partir da busca para a solução de um problema:  Marquis Mills Converse, especialista na área de calçados esportivos da época, sofreu uma queda ao escorregar da escada e teve a ideia de desenvolver calçados com sola de borracha antiderrapante para todos os gêneros e idades – uma verdadeira revolução para a época. Assim surgiu a empresa The Converse Rubber Company, que em pouco tempo assistiu a um rápido crescimento.

Primeira fábrica da Converse, em Malden, Massachusetts.

Os modelos de basquete

Uma década depois, a empresa concentrou sua produção em modelos voltados para a prática do basquete – esporte que se desenvolvia e ganhava popularidade lado a lado com a Converse. Anos depois, em 1921, já com o Converse All Star bastante popular nas quadras, o jogador de basquete, Charles “Chuck” Taylor foi convidado a representar o tênis e promovê-lo para outros jogadores do país, além de contribuir com algumas melhorias técnicas. Em 1923, o Converse All Star com a assinatura Chuck Taylor conquistou o público e tornou-se o tênis mais utilizado por todos os jogadores nas quadras de basquete.

À esquerda, Chuck Taylor, o primeiro embaixador da marca.

Foi só na década de 1970 que o Chuck Taylor All Star expandiu seus horizontes no mercado e passou a ser comercializado no mundo da moda. Além dos atletas do basquete, astros do rock, do cinema e jovens universitários também incorporaram o tênis ao seu visual, tornando o modelo ainda mais popular.

Durante os anos 1980, apesar do sucesso da década anterior, a Converse entrou numa crise financeira e administrativa que resultou na falência da empresa. Em 1990, a marca foi comprada pela Nike e as vendas foram retomadas. Porém, os problemas persistiram até os anos 2000. E então…

O Chuck 70 entrou em cena!

Em 2008, a sede japonesa da Converse iniciou a produção de um modelo que reproduzia a versão do clássico All Star fabricado na década de 1970 – um período muito importante para a marca. A ideia deu tão certo, que pessoas do mundo inteiro passaram a comprar da coleção japonesa. Esse sucesso todo deu vida a coleção Chuck 70, que foi lançada a nível global alguns anos depois.

A coleção conquistou o público logo de cara. Além de apresentar os tradicionais modelos cano alto e cano baixo nas cores vermelho, amarelo mostarda, azul marinho, branco e preto, o Chuck 70 trouxe de volta algumas características que foram retiradas durante os anos 1980 para baratear a produção. E a boa repercussão, incentivou a Converse a lançar novas coleções periodicamente com novas cores e colaborações, que inclusive você pode conferir aqui (inserir link do nosso site). 

Chuck 70 e Chuck Taylor: quais as diferenças?

E afinal, quais são as diferenças entre o tradicional Chuck Taylor e o Chuck 70? Para isso, separamos tudo em tópicos. Vamos lá!

A confecção do tênis

Nos anos 2000, a lona do cabedal e do forro do tradicional Chuck Taylor All Star tornou-se menos resistente, uma vez que o material “2-Ply” de algodão foi substituído por um “1-Ply”. Assim, o Chuck 70 retoma o tecido antigo com uma estrutura mais resistente, fazendo com que o modelo recuperasse a durabilidade de outrora.

Comparação entre materiais do Chuck 70 e Chuck Taylor.

Sola e entressola

O Chuck 70 traz de volta um solado mais resistente e mais alto nas bordas. Já o Chuck Taylor, apresenta menos componentes na construção da sola e entressola. Outro fator diferencial é o visual da entressola e da biqueira: o Chuck 70 traz uma coloração mais “off white” e envernizada, conferindo um visual mais “vintage” ao modelo. 

O Chuck 70 também apresenta uma sola mais densa e durável em relação ao Chuck Taylor All Star convencional.

Comparação entre Chuck 70 e Chuck Taylor, fotos mostrando a lateral interna de cada tênis.

Detalhes e acabamentos

Os detalhes também fazem toda diferença entre um modelo e outro. O Chuck 70 contém ilhóses de alumínio, enquanto os do All Star comum são de níquel. Em contrapartida, os cadarços do All Star são confeccionados em nylon, enquanto no Chuck 70, em algodão, mais fino.

Até mesmo o icônico logo Chuck Taylor All Star possui diferenças entre um modelo e outro. No Chuck Taylor, a tag do calcanhar vem com o logo em branco escrito “All Star”. Já no Chuck 70, a mesma tag vem em preto e traz mais detalhes, como a assinatura Chuck Taylor”. A tag interna da língua vem com espaço para escrever seu nome, como nos Chucks utilizados pelos atletas da NBA.

Comparação entre detalhes do Chuck 70 e Chuck Taylor.

E o conforto?

Percebe-se que as diferenças não apresentam apenas fatores visuais ou estéticos entre um modelo e outro. Questões técnicas relacionadas à construção dos tênis também apresentam uma grande diferença. A construção do Chuck 70, por exemplo, apresenta mais conforto que o All Star convencional. Logo, o Chuck 70, além do upgrade em sua estrutura, recebe uma palmilha dupla e espumada.

E aí, além das curiosidades, ficou claro o motivo do Chuck 70 ser aquele clássico indispensável para seu visual? Siga nosso site e redes sociais para acompanhar lançamentos e curiosidades do universo Converse.

LEIA +PAISLEY: CONHEÇA A HISTÓRIA DA ESTAMPA

Siga a gente nas redes sociais e fique por dentro de tudo que rola por aqui!

Instagram @lojavirus41 | Facebook /LojaVirus41 | Twitter @LojaVirus41